Maestros Ernesto Balmaceda e Stella Baez pela primeira vez em Porto Alegre

Ernesto Balmaceda e Stella Baez chegam pela primeira vez a Porto Alegre para dois fins de semana de cursos especiais e participação em uma milonga. O casal tem longa experiência no tango, tanto como bailarinos e maestros quanto como jurados em competições de tango dança. Com vasta carreira, Balmaceda e Stella percorrem milongas no mundo e cidades tangueiras para transmitir o que acumularam em todos seus anos de pista e de abraço. Conversamos um pouco com Ernesto Balmaceda, que convida a todos a continuar o bate-papo nos próximos dois fins de semana de agosto. Ao final do post estão todos os detalhes.

Nos últimos meses, o casal fez apresentações na Milonga Viva La Pepa, no DNI Tango, no Salão Canning e na Milonga Yira Yira, todos tradicionais espaços tangueiros de Buenos Aires, e também acompanharam a Orquesta Típica Cayengue no Centro Cultural Kirchner. Além disso, também se apresentaram em Zurique.

 

Tango 30 Faz muitos anos que vocês têm uma parceria profissional e que trabalham pelo fortalecimento e consolidação do tango salão, tanto como bailarinos quanto como professores e jurados em competições. Na opinião de vocês, o que caracteriza o tango salão, seja nos aspectos técnicos ou sociais, e por que segue encantando cada vez mais pessoas?

Ernesto Balmaceda O aspecto principal que caracteriza o tango e o motivo pelo qual cada vez mais pessoas se inserem nessa dança linda é o aspecto social, sem dúvida nenhuma, uma vez que tem muita gente que gosta de socializar com outras pessoas. Depois, está o aspecto técnico, porque tanto a mulher quanto o homem precisam aprender a dançar e ir aos lugares dançantes (as milongas) para poderem se relacionar mais com outras pessoas.

Tango 30 Vocês têm uma larga experiência como jurados em competições de bailarinos de tango salão. Como vocês têm percebido a evolução do tango ao longo destes anos e qual a contribuição das competições para isso?

Ernesto Balmaceda A evolução do tango sempre está acompanhada de coisas boas e de características não tão boas, mas tudo é positivo. A existência de competições oficiais e não oficiais contribui, por um lado, para que tenha mais pessoas, de todas as idades, que se interessem mais por esta dança maravilhosa. Mas sempre há o outro lado da moeda. Tem pessoas que se interessam apenas por tirar proveito, têm pouca experiência e querem dar aulas para avançados e profissionais e aí inicia um erro e as vezes é uma “bola de neve”.

Tango 30 O que vocês recomendam a bailarinos que desejam se qualificar e participar das competições?

Ernesto Balmaceda As sugestões, ou conselhos, que damos aos bailarinos que querem competir é que o façam como uma participação e não como uma competição, uma vez que muitos, já sabendo, se expõem oficialmente a jurados profissionais para que os qualifiquem e depois, não concordando, questionam o nosso trabalho de julgamento. Outro conselho que damos é que um bailarino que pode chegar a ganhar algum posto em uma competição tem que percorrer um longo caminho, anos, para poder ser professor e muitos anos mais para que seja considerado maestro. Muitos jovens, e não tão jovens, não entendem desta maneira e isso é muito triste porque pensar o contrário resulta que não se avance mais.

Tango 30 Aprender e aperfeiçoar o baile interessa a inúmeras pessoas que se encantam pelo tango. Durante a experiência de vocês como professores, o que observam que mais ajuda a evolução dos alunos no aprendizado?

Ernesto Balmaceda Vou resumir em poucas palavras. Um jovem que começa a dançar e tem qualidade é muito positivo, mas vai faltar a ele quantidade. A qualidade e a quantidade andam juntas. Então o que mais ajuda é ter paciência e o segredo está no tempo que seguirá aprendendo.

Tango 30 Os brasileiros têm um interesse crescente pelo tango e muitos vão a Buenos Aires com frequência. Quais são as sugestões imperdíveis que vocês têm para aproveitar a cidade e o tango?

Ernesto Balmaceda As sugestões que podem ser úteis são fazer aulas com maestros que têm anos de experiência, muitos anos de experiência, ir dançar e aproveitar cada tanda do baile com a companheira ou o companheiro, conhecer a história dançada do tango, conhecer as orquestras do tango. Se estão em um salão de dança (a milonga), atentar para a orquestra que está tocando no momento, etc.

A convite do Studio de Dança Fabrício Alves e do Tanguapo, os bailarinos vão fazer uma apresentação na Milonga nesta sexta, dia 04 de agosto, a partir das 21h. Nos dias 6, 12 e 13 de agosto vão ministrar workshops, sempre às 17h. Tudo vai acontecer no Studio de Dança Fabrício Alves.

Para mais informações, acesse os links:

Milonga com Ernesto Balmaceda e Stella Baez

Workshop Tango Ernesto Balmaceda e Stella Baez

Nosso agradecimento especial a Tanira Graeff, que possibilitou que esta charla acontecesse.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s